Growth Hacking: uma bela forma de ousar e crescer a sua empresa

Todos os empreendedores querem impulsionar o seu negócio, independentemente de qual for o segmento. Trabalhar o marketing em busca de resultados satisfatórios é o desejo de todos. O Growth Hacking chega justamente para ajudá-los a ter desempenhos comerciais melhores.

A definição de Growth Hacking

Trata-se de uma ferramenta fundamental dentro do marketing digital. Para quem não conhece, o Growth Hacking é um termo criado pelo empresário Sean Ellis.

De acordo com o próprio criador, a definição mais correta do termo é o marketing orientado a experimentos. Logo, o intuito é procurar oportunidades ou brechas (hacks) para chegar ao sucesso. Em síntese, o Growth Hacking cria estratégias específicas que visam resultados rápidos para o crescimento (growth) do empreendimento.

Ellis inventou o termo Growth Hacking no intuito de fazer uma descrição minuciosa do que ele vinha desempenhando nas empresas onde trabalhou.

Em português, o termo Growth Hacking não possui uma tradução literal. Fazendo o isolamento das palavras, Grows significa crescimento; enquanto Hack diz respeito a brecha, espaço e corte; enquanto Hacking faz menção ao ato de encontrar e explorar as brechas e os espaços.

Em suma, o Growth Hacking pode ser interpretado como a prática de encontrar “gatilhos” que, ao serem acionados, promovem um crescimento acelerado. Apesar de não ser uma prática tão simples, ela é equivalente da abordagem científica, com o intuito de identificar gatilhos e explorá-los.

Como aplicar o processo de Growth Hacking?

Existe uma sequência padrão de como aplicar o Growth Hacking na prática, apesar de alguns processos variarem de empresa para empresa. São 6 etapas. Entenda todas elas:

O Funil do Growth Hacking

É inspirado no funil de vendas. Foi criado por Dave McClure, que o batizou de “funil do pirata” porque, em inglês, as inicias formam AARRR. Assim, um som parecido com uma interjeição pirata.

Os estágios do funil são: aquisição, que reúne práticas para atrair e conquistar um cliente; ativação, importante quando o objetivo é entregar a  primeira boa experiência ao cliente; retenção, etapa em que os clientes estão satisfeitos e continuam utilizando o produto; receita, quando os clientes geram faturamento para a empresa e indicações, quando chamam amigos e conhecidos para também se tornarem clientes.

Geração de ideias

Trata-se da etapa inicial do processo de Growth Hacking, com o intuito de alavancar o crescimento das métricas do Funil de Growth.

Fontes possíveis de ideias: pesquisas de casos de sucesso, benchmarking de empresas referências, sites, fóruns e grupos do Linkedin que possuem ligação com o empreendimento.

Seleção de ideias

As ideias ligadas aos objetivos principais da empresa possuem prioridade. Logo, hierarquizar cada uma delas, com base na sua necessidade é fundamental.

Modelagem de experimentos

É nesta etapa que a ideia se transforma em uma hipótese. Para modelar o experimento que vai ser a comprovação da hipótese, é fundamental mostrar clareza em relação a barreira de crescimento que se quer superar, e ao gatilho que será explorado.

Realização dos experimentos

É a etapa de colocar em prática o experimento. Assim, aplicar a ideia da forma como ele foi planejada.

Análise de resultados

Analisar os resultados é a próxima etapa. É fundamental saber se a hipótese realmente se confirmou.

Saiba que a aplicação do Growth Hacking é fundamental para alavancar o seu negócio. Se você quiser ter resultados positivos, investir em todo o processo é a chave para o sucesso. Com certeza, você irá colher frutos.

Gostou do artigo? Continue acompanho o nosso blog e as nossas redes sociais para obter mais novidades. Conheça os nossos serviços e faça um orçamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *